21
ABRIL
2015

10:37
Compartilhar
Cuiab dos meus amores
Em: 16/04/2015 às 08:17h por Onofre Ribeiro
Resolvi prestar uma homenagem a Cuiabá pelos 296 anos usando como referência o espetáculo musical e teatral "Cuiabá dos meus amores", encenado no Teatro Zulmira Canavarros. Carmem e eu assistimos no domingo, gentilmente convidados pela amiga Carlina Jacob, a produtora. O espetáculo, escrito pelo seu pai, José Rabello Leite, de cuja serena amizade pude desfrutar, foi de fato uma longa viagem no tempo de Cuiabá.Produção primorosa associou teatro, música, tecnologia tendo como pano de fundo a História e as estórias de nossa cidade. Não anotei nome de todos os grupos culturais que se apresentaram na peça. Destaco um, pedindo desculpas aos demais, e desejando que este represente todos: o Flor Ribeirinha, criação da querida figura do São Gonçalo Rio Abaixo, a sorridente Dominguinhas. Do mesmo modo, não posso deixar de registrar o humor de Nico e Lau, Almerinda, assim como do irreverente Totó Bodega. Nem a performance das duas filhas de Carlina: uma na apresentação e outra nos figurinos.O rio, o peixe, o legendário Bar do Bugre. Detenho-me no rasqueado bem dançado, nas músicas bem escolhidas. Na irreverência bem... Leia mais
Compartilhar
Em quem confiamos?
Em: 14/04/2015 às 09:12h por Onofre Ribeiro
No artigo de domingo referi-me aqui à pesquisa "Nossa Casa", do Instituto Vetor Pesquisas. Recebi ontem de Miriam Braga a segunda parte, que trata da confiabilidade dos chefes de família cuiabanos em instituições. Surpreendente como está no ar uma fortíssima percepção de transformações amplas, gerais e irrestritas manifestas na confiabilidade.As instituições classificadas como de alto grau de credibilidade são, primeiro a família(83%), depois Corpo de Bombeiros(63%). Outras instituições como o Exército tem boa confiança. Os menos acreditados são a imprensa local e o Ministério Público Estadual. As instituições de média credibilidade começam com a imprensa nacional (15%), empresários(13%), e o governo estadual e o judiciário (12%). A polícia tem 9%.Porém, a sensação de transformações vem mesmo na faixa das instituições com baixo grau de confiabilidade. É um quadro doloroso de fragilidade. Vou citar todos, porque são importantes nos contextos público e social: associação de bairro(7%), prefeitura municipal(4%),... Leia mais
Compartilhar
Nossa casa em transformaes
Em: 12/04/2015 às 09:01h por Onofre Ribeiro
Desde 1999 acompanho a pesquisa "Nossa Casa", feita a cada dois anos pelo Instituto Vetor Pesquisas. Neste ano acabei de ter acesso à primeira parte, com direito à manhã inteira de deliciosa conversa mineira com Miriam Braga, a idealizadora.Neste ano a pesquisa pega os chefes de família cuiabanos, os entrevistados tradicionais, em pleno calor das crises política, econômica e da descoberta de uma onda de corrupção jamais vista derretendo o país, varrendo as instituições públicas no Executivo, no Judiciário e no Legislativo. O resultado foi claro: pessimismo generalizado.Mas trouxe também outras leituras como a percepção de que estamos vivendo um tempo de transformações dos valores e é preciso repensar tudo. Antes, alguns dados sobre o perfil dos entrevistados, todos chefes de família. A maioria tem curso superior e pós-graduações, 61% ganha mais de dois salários mínimos. Curioso: a cada pesquisa são cada vez cuiabanos. Antes muitos eram nascidos fora. Aqui já aparece o pessimismo: em 2013, 61% acreditavam que o país melhoraria. Hoje são apenas 28%, e 45% acreditam que vai piorar.... Leia mais
Compartilhar
O poder est nas ruas
Em: 10/04/2015 às 09:59h por Onofre Ribeiro
No correr desta semana assisti a um debate com o advogado Marco Marrafon junto com membros do Movimento Muda Brasil, de Mato Grosso. Discutiu-se ali a atual situação política, econômica, jurídica e institucional pela qual está passando o Brasil. Juntando as informações do debate com as que assisti no domingo no programa "Painel", na Globonews, ambos foram unânimes no ponto: o Brasil só será reconstruído sob a pressão das ruas. O Congresso Nacional se comporta ao sabor da onda e reage lento. O governo finge que não vê o Brasil que está ruindo. A única de sensibilizar os dois e conscientizar a população é pelas manifestações nas ruas.Em 15 de março o Movimento Muda Brasil mobilizou cerca de 35 mil pessoas em Cuiabá que foram às ruas com várias bandeiras, tipo "Fora Dilma", "Impeachment Já", "Chega de corrupção". Seguiu a mesma tônica das manifestações em todo no Brasil, que reuniram mais de 1 milhão de pessoas. Neste domingo nova manifestação nacional, e em Cuiabá mais uma.Desta vez a percepção mudou e o ideário também... Leia mais
Compartilhar
296, quase 300 anos
Em: 08/04/2015 às 09:57h por Onofre Ribeiro
Sempre defendi neste espaço nesses mais de 25 anos, que Cuiabá é a matriz cultural do Centro-Oeste brasileiro. Além dela, quatro outras cidades são antigas e importantes numa certa época: Goiás Velho, Corumbá, Cuiabá e Cáceres. Em Mato Grosso, além dessas três, somam-se Barão de Melgaço, Nossa Senhora do Livramento e Poconé. Essas tiveram importância dentro no grande ciclo do gado pantaneiro que terminou lá pelos anos 1980 quando a pecuária migrou para os cerrados.De todas as cidades do Centro-Oeste, Cuiabá restou como capital. Corumbá perdeu sua força econômica e política depois da primeira guerra mundial como porto mato-grossense de exportações. Goiás Velho deixou de ser capital do estado de Goiás em 1935. Cuiabá, contudo, permaneceu capital e recebeu os fortes influxos de Brasília, além da onda de crescimento econômico e populacional decorrente da ocupação federal na Amazônia, a partir de 1971.Cuiabá antes e depois de Brasília continuou sendo uma cidade com fortes referências culturais. Tem personalidade forte e irradia um modo de... Leia mais

Mais artigos


Receber Newsletter
 
 

Onofre Ribeiro
onofreribeiro@terra.com.br | facebook.com/onofreribeiro
msn: astro285@hotmail.com